Praia,areia,mar


Sentada na areia, ouvi o leve barulho que o mar fazia ao bater nela. Tudo me parecia fantástico ao ponto de achar que aquele lugar era meu. Tudo me trazia recordações. O barulho do mar fazia-me lembrar as gargalhadas, os suspiros dos casais de namorados que ali se encontram remetiam-me para um lugar que na realidade já foi efectivamente meu, até o cheiro a maresia se identificava com alguém. Mas de repente tudo parou. A chuva começou a cair bem certinha e todo o mundo envolvente acabou por sair de cena deixando-me leve e triste naquela praia. As gotas de chuva foram-me escorrendo pela cara disfarçando assim as lágrimas que insistiam em cair. Não havia razão para me sentir assim, simplesmente aquele cenário levava-me para o passado, novamente não era eu. Palavras, gestos e fantasias apoderaram-se de mim naquele e em quase todos os momentos seguintes ao sucedido, só ouvia aquela voz, só respirava aquela música, não sentia o meu coração a bater, não vivia porque o motivo que me fazia andar tinha desaparecido novamente. Agarrei num papel, escrevi a mensagem que sabia que nesse dia ele iria ler e deixei-a ali na areia tapada pela garrafa que ali tinha deixado em dias anteriores, fugi. A ventania era forte e eu sentia-me gelada, naquele momento só ele me podia aquecer o coração mas mais uma vez não apareceu e destruiu todos os meus sonhos.
E tudo, o vento levou (…)

historia nao veridica

29 comentários:

  1. que texto mais lindo *-*
    Amo-te <3
    continua assim amoor ;
    beijinho ;')

    ResponderEliminar
  2. Oh, obrigado, digo o mesmo deste texto também :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. "E tudo o vento levou", se assim não fosse onde caberiam todas as coisas. Foi para isso que o vento foi (in)ventado, para de vez enquando dar uma arrumação nas nossas vidas e pormos as coisas nos lugares certos. Está fixe, gostei.

    ResponderEliminar
  4. Esse vento podia trazer-te de volta, mas sopra em sentido contrário. Tenho muitas saudades tuas.
    Gosto muito da maneira que escreves. expões os teus sentimentos de uma forma inocente mas bem explícitos. Continua e não abras a porta que está muito frio.

    ResponderEliminar
  5. Eu já perguntei ao vento novas sobre ti, e o vento me disse que vinha porque tinha estado contigo e trazia-me um pouco de ti. Dei-lhe um abraço para te entregar e muitas saudades.
    Até breve.

    ResponderEliminar
  6. Jorge ja tenhos muitas saudades tuas (:
    Eu na segunda-feira quando passas-te por mim ,eu disse-te adeus mas nao sei se tu reparas-te ...
    ATÉ BREVE

    ResponderEliminar
  7. Fico contente por teres gostado!

    ResponderEliminar
  8. claro que são , férias são férias amor , (L) .
    ( obrigada por todas as palavras , :$ . Desculpa a demora , compreende-me , estamos de férias e tempo para net nenhum mesmo , :X )

    ResponderEliminar
  9. eu gosto muito deste cantinho, faz-nos voar.

    ResponderEliminar
  10. cantinho = teu blog :)
    adoro o que escreves

    ResponderEliminar
  11. Tivessem todos o jeito que tu tens para escrever...

    Adorei...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Mariana, desejo-te umas boas férias. Eu vou gozar as minhas mas levo-vos comigo. Um até breve e que seja muito breve. Saudades e um abraço muito apertado.

    ResponderEliminar
  13. obrigada jorge eu estes 15dias tambem vou de ferias e tambem te vou levar comigo,espero que tenhas umas optimas ferias,e ves se ves o peixe mamador lol.
    E para ti tambem um abraço muito apertado*

    ResponderEliminar